Michael Jackson,  sobre a vida

Uma década sem ele, uma década com ele.

Dez anos atrás eu estava na sala com a minha mãe e era final da tarde quando o plantão da Globo (maldita seja aquela música que até hoje me assusta) anunciou a morte de Michael Jackson. E eu, com meus 11 anos não tinha nem ideia de quem ele era, SÉRIO. Discuto até hoje com a minha mãe de não ter me apresentado a ele.

Mas voltando. Eu lembro muito bem daquele dia, minha mãe tava fazendo a unha e eu estava só deitada no sofá mesmo. E eu fiquei “quem é esse homem que fez meio mundo de gente ir pra fora de um hospital?” Fora que quando apareceu a gravação do Jermaine anunciando oficialmente a morte no jornal nacional eu fiquei mais triste ainda. Depois minha mãe colocou no Multishow e lá tava passando Thriller, Beat It, Billie Jean… Enfim, fiquei impressionada. Noutro dia, minha mãe que adora assistir qualquer programa da Sônia Abraão (até hoje, não julgue) ela estava falando do Michael, das suas polêmicas (claro) e eu vi cenas do clipe – que eu descobriria rapidamente em uma pesquisa no youtube ser – You Are Not Alone. Aquelas cortinas vermelhas, o cabelo curto e um teatro incrível como fundo. Me apaixonei.

E ali eu me apaixonei pelo Michael. Pela música, pelo estilo, mas principalmente pela pessoa que eu descobri que ele é. YANA é até hoje minha música favorita.

Michael não teve vida fácil, desde os 5 anos trabalhando, perdeu sua infância dentro de estúdios, em salas de ensaio e quando não era perfeito, apanhava. Cresceu, se tornou O Michael Jackson, teve desentendimentos com a família, criaram polêmicas envolvendo sua pele, sua raça, seu rosto, inventaram mil e uma coisas e ainda acabaram com a parte mais bonita do Michael: sua inocência. O Acusaram de coisas inimagináveis para alguém tão doce ser capaz de fazer; quase o mataram inúmeras vezes, seja literalmente ou com palavras.

Não importa o que você faça, tem sempre alguém que não vai gostar. Não importa sua vontade ou se suas intenções são boas, tem sempre uma pessoa que quer te derrubar.

MJ

A verdade é a seguinte: Michael era puro amor. E não tenha “polêmica” ou acusações falsas que vão tirar isso dele. O amor não. Destruíram o homem, mas ele continuava focado no amor. E mesmo que a mídia tente focar só nas coisas mentirosas e ruins, a fã base continua como ele: focada no amor e no seu legado não só no mundo da música, mas de filantropia.

Eu nunca vou parar de ajudar e amar as pessoas, assim como Jesus fez.

Michael Jackson

Eu infelizmente só pude apreciar Michael Jackson pós seu falecimento, mas não sou só eu, já que a própria Latoya (irmã) afirmou que ele “valia mais morto que vivo”. Isso é triste, eu queria que mais pessoas deixassem de lado o que vêem ou viram na mídia sobre ele e conhecessem O Michael. Não o rei do pop. Ele merecia muito mais que teve, MUITO mais.

Com ele eu tomei gosto por várias coisas, graças às teorias envolvendo Michael eu descobri um dos meus filmes favoritos da vida: V de Vingança; descobri pontos em que éramos parecidos: perfeccionistas, me lembro de quando fui assistir This Is It no cinema e minha mãe ficou irritada com ele corrigindo os músicos durante os ensaios rs.

Outros que nem tanto e que me inspiram, um desses é que ele sempre acreditou nas pessoas. Isso teve peso pra ele, isso machucou ele de verdade, mas ele nunca deixou de ser puro amor.

Michael me ajudou e ajuda até hoje em dias difíceis. A voz, o jeito de ser, as horas que eu passava editando fotos buscadas no fórum da MJBEATS e fóruns gringos pra postar no falecido Orkut e no Tumblr. Vídeos baixados e apanhando um pouco do Photoshop pra aprender a fazer Gifs. Michael me fez parte de uma comunidade – ele que plantou a semente fangirl em mim hahaeu não tava sozinha. Quantos sonhos eu já não tive em que eu o encontrava andando por aí e virávamos amigos?

Eu encontrei o Michael de um jeito ruim, mas eu não me arrependo. Esse encontro foi importante pra eu ser quem eu sou hoje. São dez anos sem ele, mas também são dez anos com ele e eu sou grata por ele existir (ou ter existido – depende do que você acredita #believe).

Em um mundo cheio de ódio, nós ainda precisamos ousar ter esperança. Em um mundo cheio de raiva, nós devemos ousar dar consolo. Em um mundo cheio de desespero, precisamos sonhar. E em um mundo cheio de desconfiança, ousemos acreditar.

Michael Jackson

Foi-se o tempo em que eu sentia dor no dia 25. Cada dia que passa, a verdade me é mais clara, esse mundo não merecia Michael Jackson, mas ainda bem que ele esteve por aqui.

É isto.
Essa é a carta que eu mandaria pra ele se possível. É muito engraçado o quanto uma pessoa tão distante – que não faz ideia da sua existência – pode te ajudar e inspirar.

Muito obrigada, Michael.
O amor vive pra sempre.

12 Comentários

  • Clayci Oliveira

    Essa música do Plantão tira a gente do sério, né? Nosso coração até acelara quando aparece no meio das programações. Eu ainda lembro desse dia e parece que foi ontem. Foi triste demais, mesmo não tendo uma opinião formada sobre todas as polêmicas que o cantor se meteu não tem como aceitar esse fim =/
    Deixou saudades, sim.

  • Lucy

    Oi, Ana! Entendo muito bem a sua mãe, a minha também assiste Sônia Abrão… rs
    Eu conheci Michael Jackson lá pelos anos 80, vi suas “transformações” (quando lançaram o clipe de Black or White foi uma coisa de louco ver como estava a aparência dele) e assisti todas as notícias das polêmicas.
    Eu não sei realmente o que pensar sobre elas, sempre achei o cantor muito excêntrico em determinadas situações, talvez por sua infância conturbada, mas essas acusações foram realmente muito chocantes. Porém, acho que agora também não me cabe colocar isso em pauta, infelizmente é capaz de esse processo todo continuar rolando e repercutir para a família dele.
    Enfim, é bom saber que você conheceu realmente o Michael e que ele lhe proporcionou toda uma mensagem positiva de amor, compaixão e companheirismo. Acho impossível não gostar de pelo menos umas 5 músicas dele, no mínimo.
    bjos
    Lucy – Por essas páginas

  • Dayhara

    Olá! Eu fiquei chocada quando cai na real e vi que já se passaram dez anos, parece ter sido a tão pouco tempo, ainda tenho dificuldade para aceitar isso, falando sinceramente. Ele era um excelente cantor e contigo contigo, era amor por inteiro.

  • Marijleite

    Oi, isso de ele ter sido explorado e agredido pelo pai na infância é uma coisa que chocou muito a minha irmã, ela sempre fala sobre o assunto quando o nome do Michael é citado. Eu não acompanhei muito da carreira dele, mas sua partida foi mesmo um momento muito triste para a música. É realmente impressionante como alguém que nem conhece a gente pode nos servir de inspiração e motivação, é a mágica da vida.

  • Fernanda Santos Barroso

    Olá!
    Eu, ao contrário de você, cresci ouvindo Michael Jackson. Minha mãe ouvia, a gente sempre o admirou demais aqui. Ele foi uma pessoa que sofreu demais, como pontuou aqui, mas que teve a chance de ser uma pessoa melhor, foi e mostrou ao mundo como ser. Infelizmente, nem todos conseguem aprender. O dia da morte dele foi chocante, triste e eu acompanhei pela TV o tempo todo…. Ainda hoje, parece que foi ontem e não todo esse tempo. O lado bom disso tudo é que ele deixou uma grande parte dele pra gente aproveitar pra sempre. E vamos mesmo.
    Adorei o seu post, adorei essa carta, me senti muito identificada aqui!
    Abraços

  • Thainá Christine

    Eu também acredito que o Michael era puro amor, e que as polêmicas eram apenas mentiras querendo o derrubar. O mundo é tão avesso a esse sentimento que o reprime quando o vê em seu aspecto mais puro. Tenho uma tia que também é apaixonada pelo cantor e que me apresentou várias músicas dele. Não senti o impacto de sua morte há uma década, mas hoje sei a importância dele como músico e ser humano.

    http://www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

  • Sara Kerolen Souza Oliveira

    Oii tudo bem ?
    Fiquei emocionada com esse post faz tanto tempo assim? Parece que foi ontem sério infelizmente o mundo perdeu uma alma tão boa e pura mais o céu ganhou uma estrela . Posso não ser uma super fã mais eu admirava o cara posso dizer que ele deixou um legado em vários sentindo.

    Bjs

  • Yvens

    Olá, tudo bem Ana?

    Eu não sabia que já tinha uma década do falecimento do Michael Jackson, foi uma perda profunda para o mundo pop. Lembro que o cantor marcou a minha infância no início dos anos 90, eu gostava muito da música dele e principalmente do jeito dele dançar. Bela homenagem!
    Abraço!

  • Aba Luz

    Olá, tudo bem?

    Eu não tenho uma posição quantias polêmicas, sejam elas da época em que ele era vivo oh das póstumas, pois não sei se são verdadeiras ou não, e convenhamos que ele deu muita margem para essas coisas.

    Todavia, o artista, falando só disso, ele vai ser para sempre extraordinário!

    Beijo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *