Soluções divinas, sem Deus

Esse texto de Gênesis revela um pouco do que acontece quando nós decidimos tirar Deus da equação virando Deus.

Sarai queria ter filhos, ela não podia ter. A primeira coisa que eu acho interessante é que Sarai justifica a atitude dela em Deuso Senhor me impediu de ter filhos”, sem realmente inclui-Lo na decisão final.

Ela decide que vai entregar uma das suas servas, Hagar, para que Abrão tenha filhos com ela e assim Sarai “formaria uma família por meio dela“. Sarai queria uma barriga de aluguel, era um costume da época (você tinha o bebê e entregava para sua senhora), mas não era isso que Deus planejava.

Hagar engravida e ela toma posição no seu local de mãe, esse era um lugar importante de se ter. Com isso, Hagar acabou “desprezando” Sarai, como diz o texto – ela se coloca como mãe e deixa a posição de serva.

E claro, Sarai se encheu de inveja e de soberba. Ela achou que tinha resolvido seus problemas, mas na realidade, encontrou novos. Hagar a desprezou porque, provavelmente, se sentiu melhor que Sarai por ser fértil (isso sempre foi uma questão para mulheres), e Hagar teve que engravidar porque ela era serva de Sarai. Sem opções.

E isso acontece muito quando nós tiramos a soberania de Deus pra nos colocar de soberano. Nós tentamos resolver tudo sozinhos e acabamos encontrando mais problemas ainda pelas nossas atitudes que tiram Deus como direcionador.

Hagar foge de Sarai depois de ser maltratada, mas um anjo vai atrás dela e diz “volta pra lá e se sujeite” e Hagar, diferente de Sarai nessa situação toda, ouve a Deus. E contra qualquer expectativa, ela volta.

Hagar foi vista por Deus, como mãe e não serva, no seu momento de desespero.

Deus também vê Sarai, porque esse é o jeitinho dEle (rs), dá um novo nome a ela e dá um filho para Sara, cumprindo uma promessa feita a Abrão que vira Abraão.

Olha quantos problemas por uma decisão de resolver as coisas sem colocar Deus no centro? Se Sara tivesse confiado em Deus, não teria tido a ideia de recorrer ao costume da época, Abrão não teria aceitado e Hagar não teria desprezado Sara.

Deus colocou ordem na confusão, mas todos poderiam ter sido parte do plano A, não do plano B.

Não tente ser Deus!

Ana Gabriela

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo