fala sobre livros

Resenha | Todo dia & Outro Dia

A resenha de hoje é da “continuação” de um dos meus livros favoritos da vida. Outro Dia é o segundo livro da duologia onde o primeiro livro foi Todo Dia – do David Levithan. Só que não é bem uma continuação, é só o ponto de vista de outra personagem da história, Rhiannon.

Recapitulando

Todo Dia conta a história de A, que não tem gênero – não é nem homem nem mulher – todos os dias A acorda em um corpo diferente. Ele não sabe por que, não sabe para que, apenas segue com essa rotina. Ele não se apega a nada da vida dessas pessoas já que nada disso vai ser dele no próximo dia. Isso muda quando ele acaba no corpo de Justin, um rapaz da faixa de 16 anos que tem uma namorada chamada Rhiannon.

A bondade tem a ver com quem você é, enquanto gentileza tem a ver com o modo como quer ser visto.

Página 52

 A se apaixona por essa menina e ele dá o melhor dia de todos para ela no corpo de Justin. O problema? O namoro deles não é exatamente perfeito. Nisso A começa a arranjar maneiras de estar perto de Rhiannon apesar dessa “condição” dele. Lembrando que A não é homem ou mulher, eu digo “ele” porque não existe uma boa tradução pro termo “it” do inglês.

Quando você quer viver segundo a própria realidade, deve escolher passar pelo inicialmente doloroso porém finalmente reconfortante processo de descoberta.

P. 219

Todo Dia é narrado por A, mostrando todas as pessoas que ele habita enquanto tenta ficar próximo de Rhiannon. A carga emocional desse ponto de vista é mais ‘suave’, A não entende tanto dos sentimentos normais de uma pessoa, apesar de viver em várias delas por um dia.

O passado não me ofusca, nem o futuro me motiva. Concentro-me no presente, porque é nele que estou destinado a viver.

Página 12

Outro Dia

Outro Dia é narrado por Rhiannon, dando uma nova visão da história. Com o direito a todos os sentimentos de uma pessoa que tem um relacionamento de dependência e que mesmo não sendo feliz continua nele. 

Isso parece acomodação pra mim. Você não deveria ter que ir tão fundo pra ser amada.

p. 57

E que ao mesmo tempo quer liberdade disso tudo, mas o medo de ficar só, a insegurança a impede de se libertar. Por isso, a carga emocional dessa narrativa já é mais pesada. Você vê a personagem em um conflito constante com o que ela quer e o que ela já tem.

Eu sei que você sente muito, mas o que isso significa de verdade? No final das contas, essa palavra não é só uma desculpa qualquer?

p. 129

O começo é um pouco irritante, achei que esse livro seria um mimimi desnecessário, mas aos poucos você começa a entender o lado dela. O que ela sente com Justin e a relação difícil com A, que ao mesmo tempo que a ajuda, também a atrapalha. Um amor proibido por uma condição especial.  

 Os paralelos entre os livros são extremamente iguais, nenhuma vírgula tá diferente dentro dos emails que A e Rhiannon trocam. 

Todo Dia & Outro Dia

A visão de Rhiannon dá um toque ao primeiro livro que eu nem sabia que era necessário. Quando li Todo Dia há um tempo atrás, me apaixonei totalmente pela história. É o amor puro e inocente de acreditar em um ‘nós’, mesmo com obstáculos. O desenvolvimento da Rhiannon é muito bom, o ritmo da escrita do autor foi excelente, nada tá corrido demais, nada tá devagar demais, simplesmente perfeito. O final me deixou em lágrimas, assim como toda a narrativa. Achei que seria um pouco repetitivo por ser a mesma história com a diferença de ser em um ponto de vista diferente, mas não, os livros se complementam, assim como as personagens.

É incrível. David Levithan me surpreende mais uma vez.

Quase sempre, amar parece ser uma tentativa de descobrir o que a outra pessoa deseja e dar isso a ela. Algumas vezes, é impossível. Mas outras vezes é muito simples.

p. 130
Todo Dia & Outro Dia

Não sei se vocês notaram, mas agora os dois livros  são os meus favoritos da vida. Vale muito a pena ter a noção dos dois pontos de vista.  LEIAM ESSES LIVROS. Nunca pedi nada! Tenho certeza que vocês vão gostar.

Num relacionamento, você tem que dar forma às peças a cada extremidade antes que elas se encaixem perfeitamente.

19 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *