Resenha | Todo dia & Outro Dia

A resenha de hoje é da “continuação” de um dos meus livros favoritos da vida. Outro Dia é o segundo livro da duologia onde o primeiro livro foi Todo Dia – do David Levithan. Só que não é bem uma continuação, é só o ponto de vista de outra personagem da história, Rhiannon.

Recapitulando

Todo Dia conta a história de A, que não tem gênero – não é nem homem nem mulher – todos os dias A acorda em um corpo diferente. Ele não sabe por que, não sabe para que, apenas segue com essa rotina. Ele não se apega a nada da vida dessas pessoas já que nada disso vai ser dele no próximo dia. Isso muda quando ele acaba no corpo de Justin, um rapaz da faixa de 16 anos que tem uma namorada chamada Rhiannon.

A bondade tem a ver com quem você é, enquanto gentileza tem a ver com o modo como quer ser visto.

Página 52

 A se apaixona por essa menina e ele dá o melhor dia de todos para ela no corpo de Justin. O problema? O namoro deles não é exatamente perfeito. Nisso A começa a arranjar maneiras de estar perto de Rhiannon apesar dessa “condição” dele. Lembrando que A não é homem ou mulher, eu digo “ele” porque não existe uma boa tradução pro termo “it” do inglês.

Quando você quer viver segundo a própria realidade, deve escolher passar pelo inicialmente doloroso porém finalmente reconfortante processo de descoberta.

P. 219

Todo Dia é narrado por A, mostrando todas as pessoas que ele habita enquanto tenta ficar próximo de Rhiannon. A carga emocional desse ponto de vista é mais ‘suave’, A não entende tanto dos sentimentos normais de uma pessoa, apesar de viver em várias delas por um dia.

O passado não me ofusca, nem o futuro me motiva. Concentro-me no presente, porque é nele que estou destinado a viver.

Página 12

Outro Dia

Outro Dia é narrado por Rhiannon, dando uma nova visão da história. Com o direito a todos os sentimentos de uma pessoa que tem um relacionamento de dependência e que mesmo não sendo feliz continua nele. 

Isso parece acomodação pra mim. Você não deveria ter que ir tão fundo pra ser amada.

p. 57

E que ao mesmo tempo quer liberdade disso tudo, mas o medo de ficar só, a insegurança a impede de se libertar. Por isso, a carga emocional dessa narrativa já é mais pesada. Você vê a personagem em um conflito constante com o que ela quer e o que ela já tem.

Eu sei que você sente muito, mas o que isso significa de verdade? No final das contas, essa palavra não é só uma desculpa qualquer?

p. 129

O começo é um pouco irritante, achei que esse livro seria um mimimi desnecessário, mas aos poucos você começa a entender o lado dela. O que ela sente com Justin e a relação difícil com A, que ao mesmo tempo que a ajuda, também a atrapalha. Um amor proibido por uma condição especial.  

 Os paralelos entre os livros são extremamente iguais, nenhuma vírgula tá diferente dentro dos emails que A e Rhiannon trocam. 

Todo Dia & Outro Dia

A visão de Rhiannon dá um toque ao primeiro livro que eu nem sabia que era necessário. Quando li Todo Dia há um tempo atrás, me apaixonei totalmente pela história. É o amor puro e inocente de acreditar em um ‘nós’, mesmo com obstáculos. O desenvolvimento da Rhiannon é muito bom, o ritmo da escrita do autor foi excelente, nada tá corrido demais, nada tá devagar demais, simplesmente perfeito. O final me deixou em lágrimas, assim como toda a narrativa. Achei que seria um pouco repetitivo por ser a mesma história com a diferença de ser em um ponto de vista diferente, mas não, os livros se complementam, assim como as personagens.

É incrível. David Levithan me surpreende mais uma vez.

Quase sempre, amar parece ser uma tentativa de descobrir o que a outra pessoa deseja e dar isso a ela. Algumas vezes, é impossível. Mas outras vezes é muito simples.

p. 130
Todo Dia & Outro Dia

Não sei se vocês notaram, mas agora os dois livros  são os meus favoritos da vida. Vale muito a pena ter a noção dos dois pontos de vista.  LEIAM ESSES LIVROS. Nunca pedi nada! Tenho certeza que vocês vão gostar.

Num relacionamento, você tem que dar forma às peças a cada extremidade antes que elas se encaixem perfeitamente.

Ana Gabriela

19 comentários em “Resenha | Todo dia & Outro Dia

  1. Só li sobre a parte do "todo dia" fiquei com medo se tiver com spoiler porque detesto hahaha. Gosto do jeito que você escreve sem enrolações, já tinha ouvido falar mas fico com receio de sair muito da minha zona de conforto, eu andei saindo e acabei me dando mal. Vejo gente odiando esse livro e outros que amam, a história me chama bastante atenção.

    Abraços!

  2. Eu quero muito ler o livro porque Todo Dia também é um dos meus favoritos da vida, mas não estava muito animada com medo de o segundo volume eventualmente estragar o primeiro, mas fico feliz em saber que alguém que gostou tanto do primeiro também adorou o segundo. Estou muito ansiosa pela leitura depois de ler sua resenha!

  3. Oi, Ana, tudo bem? Nossa, eu nunca li nada do Levithan apesar de sempre ver resenhas por aí, além de gente indicando. Às vezes passo pelo 'Todo Dia' nas livrarias, ele olha pra mim, eu olho pra ele e deixo lá, hahaha. Mas agora você eu me sentir meio culpa de deixar o livro lá, tô com uma vontade de comprar já os dois pra ler em sequência, porque sua resenha me conquistou. Vou seguir sua indicação de ler sim.

    Beijos. ^_^
    http://www.clubedas6.com.br

  4. Oi, flor!
    É a primeira resenha que leio a respeito de Outro Dia. Gostei muito de saber que a narrativa e o enredo continuam tão bons. Pretendo ler Todo Dia em breve (espero, já o adquiri há um tempão) e tenho certeza de que esse romance me encantará tanto quanto a você… Também gosto quando o casal se apaixona e parece que esse sentimento pode superar todos os obstáculos que têm de enfrentar. Estou torcendo por um final feliz.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

  5. Oii Ana, tudo bem?
    Sempre me encanto pelas suas resenhas. Porém, este livro nunca despertou meu interesse sabe? Eu já tentei ler e até me agradar da sinopse e não consigo, acho que seria muito chato para mim haahha
    Beijão <3

  6. Olá Ana! Acredita que ainda não li nenhuma obra de David Levithan? Nem mesmo a sua parceria com John Green, mas vontade não me falta principalmente com relação a essa duologia (parece realmente ser super linda).

    umreinomuitodistante.blogspot.com.br

  7. Eu estou cometendo um sacrilégio! Comprei todo dia e está na estante pegando poeira… não or falta de interesse, mas são tantos livros que preciso ler que termino deixando ele pra trás. E agora com o lançamento do segundo volume, fico a pensar o que farei da minha vida se não mergulhar de cabeça logo nessa aventura! Adorei conhecer os dois livros através de seus olhos.
    Aguçou mais a minha vontade de ler.
    Abs
    Ni
    Cia do Leitor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo