fala sobre livros

Resenha | O Céu Acima do Céu – Cássia Carducci

Às vezes fingir que um machucado não dói é mais confortável do que tentar fazê-lo cicatrizar, simplesmente porque fazê-lo cicatrizar arde.

O céu acima do céu começa apresentando Sophia, uma jovem na casa dos 17 anos que está na festa de aniversário do namorado. Tudo tá correndo bem e ela decidiu que esse dia vai ser bem importante pra ela. Mas os planos mudam quando esse mesmo namorado decide jogar ela na piscina de brincadeira. Um acidente acontece, que muda a vida de Sophia, ela acaba em uma cadeira de rodas.

Se você não consegue me amar por inteiro, eu não vou deixar você me amar pela metade.

Alguns anos se passam e também conhecemos Alexandre que conheceu o amor de sua vida, Júlia, eles se casam, são muito felizes, tem uma filha Lilith. Mas também acontece algo que muda a vida dessa família, Júlia falece.

Sorrio, mas o que eu quero mesmo é chorar diante dos sentimentos conflitantes que se apossam do meu coração. Eu acabo de assinar minha sentença de sofrimento por tempo indeterminado, e eu sequer posso dizer que estava arrependida por isso.

Um mês após a morte de Julia, depois de férias forçadas, Alexandre tem que voltar a trabalha e é aí que ele e Sophia se reencontram, a mãe dela trabalha na casa de Alexandre faz muito tempo, então eles se conhecem, Soph já teve uma paixonite por Alexandre, mas ela se relaciona bem só com André (irmão de Alexandre), ambos são pilotos. Alexandre precisa de uma babá e acaba convidando Sophia.

O amor não serve para nada se você o guardar dentro de você. Ele só tem sentido e força, quando se tem coragem de entregá- lo para outra pessoa.

O céu acima do céu foi o outro livro que me tirou um pouquinho da ressaca literária em que me encontro. Romances, obrigada por tudo! Li a história em questão de dois dias, uma narrativa fluida e bem gostosa. A história traz reflexões sobre luto, fé e superação de obstáculos. A representividade que Sophia traz enquanto cadeirante é maravilhosa de acompanhar, ela jamais se vitimiza ou tenta culpar alguém.

Se ela ainda não está bem, com certeza ficará. Porque é isso que mulheres com a força de Sophia fazem: elas se reconstroem quantas vezes forem necessárias, e ficam cada vez mais fortes, mais sábias, mais inteligentes.

Apesar de lidarmos de formas diferentes com problemas, não é difícil se identificar com a força da personagem. Lilith é uma garotinha perspicaz e eu adorei como Júlia foi colocada no enredo de forma respeitosa e sensível. Apesar de Alexandre não ter sido um dos meus crushes literários, reconheço que o crescimento dele na história é bem feito e de uma forma natural – tanto pelo lado positivo quanto negativo.

Quando a gente sabe que alguém nos ama e nós não sentimos o mesmo de volta, e mesmo assim damos esperança de algo, nós temos culpa sim.

Achei que alguns momentos da história aconteceram rápido demais, isso me incomodou um pouquinho, mas acho que isso acaba sendo corrigido um pouco mais a frente no livro. Talvez essa tenha sido a ideia mesmo rs. Os personagens secundários são bem utilizados, até um certo ex namorado é bem inserido. Adoraria um conto/spinoff do André porque eu gostei muito dele! E a minha favorita desse livro com certeza é Lili, e vindo de alguém que não é lá a maior fã de crianças, isso fala muito hahaha.

Feridas quando cicatrizadas deixam de ser feridas. Elas passam a ser apenas lembranças.

Eu gostei bastante da leitura, a Cássia sempre me surpreende com a sua maneira de escrever. É bom demais poder ler mais uma história dela!

9 Comentários

  • Bianca Ribeiro

    Não conhecia nem a escritora e nem o livro, mas achei interessante isso dos reencontros e tal, eu gosto muito de livros assim pra sair da ressaca, acho que todo mundo curte né?
    Adorei a forma como você falou da criança, ela deve ser adoravel mesmo, sem contar que tem um nome muito bonito.
    Adorei essa dica e já quero ler também.

  • Mari

    Olá!

    Tenho uns dois livros da Cassia no kindle e ainda não li, mas sempre ouvi falarem muito bem dela. Adorei saber um pouco mais sobre essa história. E sim, obrigada Romances, sempre nos salvando das ressacas.

    Beijos,
    Blog Diversamente

  • Gustavo Marques

    Eu sempre escolho um romancezinho para que eu possa sair da Ressaca Literária. Se é que eu posso dizer isso, pois fiquei nela apenas 1 vez e foi horrível! Mas romance é tudo!
    Eu percebi muita semelhança entre este livro e os de autoria da Brittainy C. Cherry. Como é conduzido o romance, a questão da representatividade, tudo…
    Como sou fã da BCC, eu quero muito ler esse livro, pois eu gostei muito e não o conhecia!

    • Ana Gabriela

      Nossa, a única experiência que tive com a Brittany eu detestei kkkkk acho que só pela resenha dá impressão que é igual porque pra mim, a Cássia desenvolve personagem e enredo muito melhor que a Britanny. E os personagens agem de acordo com as idades kkk

  • Fernanda Santos Barroso

    Olá! Tudo bem?
    Eu ainda não tinha ouvido falar desse livro, mas adorei conhecer um pouco e acho que é o meu tipo de livro, com romance, superação, fé e tudo mais. Adorei a resenha, fiquei curiosa para realizar a leitura!

  • Marijleite

    Oi, que bom saber que a leitura lhe ajudou a sair um pouco de uma ressaca literária, eu ainda não conhecia ele mas se é romance já me interessa, rsrs. Bacana trazer a questão da personagem cadeirante.

  • Carol Nery

    Desconheço tanto quem o escreveu, quanto o livro! Mas, eu adorei as quotes… e mesmo não sendo meu tipo de leitura, acredito que a história seja muito interessante. E a seu respeito, que maravilha ter auxílio em uma ressaca.
    Abraços

  • Nilda de Souza

    Romances despretensiosos são ótimos para tira-nos de ressacas, Fiquei interessada em saber mais da personagem cadeirante. Também gosto do temas dos superação e luto. Espero ter oportunidade de ler qualquer hora dessas.

    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *