Resenha | Heart Bones – Colleen Hoover

Aviso: Heart Bones é um livro com gatilhos para depressão, uso de drogas e solidão. 


“Não se preocupe. Corações não têm ossos. Eles não podem realmente quebrar.” (…) “Se não há nada dentro de um coração que pode quebrar, por que parece que o meu vai se partir ao meio quando for hora de eu me mudar no próximo mês? Seu coração não se sente assim?” Os olhos de Samson percorrem meu rosto por um momento. “Sim”, ele sussurra. “Sim. Talvez nós dois tenhamos crescido ossos no coração. ”

E mais uma vez, Colleen Hoover acaba comigo.

Heart Bones é o mais recente lançamento dela e traz a história de Beyah, uma jovem que vive em um trailer caindo aos pedaços com a mãe que é viciada em drogas e quase nunca está lá e quando está, não é consciente. Beyah basicamente se criou. Ela tem um pai, mas ele não é tão presente por alguns fatores, um deles, é que a própria Beyah não o quis por perto e ela tem seus motivos.

Às vezes, acredito que as personalidades são moldadas mais pelo dano do que pela bondade. A bondade não penetra tão profundamente em sua pele quanto o dano. O dano mancha tanto sua alma que você não pode limpá-la. Ele fica lá para sempre, e eu sinto que as pessoas podem ver todos os meus danos apenas olhando para mim.

Só que pra piorar uma situação que já era ruim, a mãe de Beyah morre em uma overdose e ela não pode mais ficar onde está. Então, ela acaba ligando pro pai que mora em outra cidade. E ela vai ficar com ele com a desculpa de ser só uma visita. O que não é mentira, mas uma meia verdade. Ela precisa de um lugar pra ficar até ir pra faculdade na Pensilvânia.

Lá, Beyah conhece a família do pai, Brian. Que inclui uma madrasta e uma enteada, Sara. E encara uma realidade que nunca existiu pra ela. Um lar de verdade, com comida, jantares em família, e uma irmã que realmente quer seu bem.

Posso me sentir invencível às vezes, mas não sou a Mulher Maravilha. (…) Posso não ser tão alegre e feliz como ela, mas saber que ela está começando a gostar de comida e não parece tão preocupada com seu peso como quando eu cheguei me faz pensar que talvez eu realmente tenha algo para oferecer nesta amizade. Este é um novo sentimento – a ideia de que talvez valha a pena me ter por perto.

E Samsom, ela conhece Samsom.

Caras, eu não sei o que escrever nesta resenha. Sério. Eu demorei horrores pra ler esse livro, não por ele ser ruim, longe disso, mas porque eu não queria que as coisas dessem errado porque é óbvio que algo daria. E aí, eu enrolei ao máximo.

A reviravolta desse livro vem tão sutil que você é pego de surpresa quando ela chega. E como eu disse: você sabe que algo vai dar errado, mas o jeito que acontece é muito do nada. E nossa, que golpe.

Existem dois tipos diferentes de erros. O errado que vem da fraqueza e o que vem da força. Você fez essa escolha porque era forte e precisava sobreviver. Você não fez essa escolha porque era fraca.

Colleen sempre escreve histórias com um tom de realidade, com situações que podem acontecer e não é diferente aqui em Heart Bones. Ela dá dois tapas na sua cara e te faz pensar sobre um assunto que tem sido comentado nesse último ano com afinco em vários âmbitos.

Heart Bones é uma história de superação, de dar a volta por cima quando todas as circunstâncias te fazem querer sucumbir e desistir. Beyah é um ícone. Que garota é essa? A narrativa de Beyah é maravilhosa e dolorosa.

Gritando: “Beyah! Beyah!” Pode ser a coisa mais brega que eu já vi. Um cara, sozinho em uma platéia invisível, gritando com toda a força de seus pulmões por uma garota que ele sabe que nunca gritaram. É a coisa mais tocante que alguém já fez por mim.

A frase do Antônio: “Por que bondade me deixa tão emocionado?” Me passou pela cabeça nessa cena.

Samsom é um mistério pra Beyah e pro leitor, a gente sabe muito pouco dele, mas é engraçado que nas atitudes dele ao longo da história, a gente conhece quem ele é. Muito louco.

Os personagens secundários também são incríveis. Mas tenho uma que ficou no meu coração, eu fiquei TANTO com o pé atrás em relação a Sara e queria pedir desculpas porque ela realmente é um anjo enviado a vida da Beyah e eu não deveria ter desconfiado.

Meu pai uma vez me disse que o amor é muito parecido com a água. Pode ser calmo. Bravo. Ameaçador. Tranquilizante. A água será muitas coisas, mas mesmo em todas as suas formas, sempre será água. Você é minha água. Acho que também posso ser a sua. Se você está lendo isso, significa que essa água evaporou. Mas isso não significa que você deve evaporar também. Vá inundar o maldito do mundo inteiro.

Heart Bones é mais uma história incrível de Colleen Hoover e eu não tô nem aí pra quem diz que ela tem uma fórmula e blá blá blá, caso ninguém tenha te avisado, a maioria dos autores tem. CoHo é uma escritora A+ e ela merece todo o hype e aclamação que merece e eu estou muito feliz que vou ter mais um livro dela esse ano pra ler.

Inundem a droga do mundo inteiro!

Ana Gabriela

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo