Resenha | Bom Dia, Verônica

Bom dia, Verônica é um livro nacional de Raphael Montes e Ilana Casoy. Na primeira edição do livro, os autores usaram um pseudônimo, só revelaram quando a Darkside fez uma nova edição do livro.

Verônica é secretária da polícia civil e ela trabalha para o Carvana, um cara meio grotesco, mas que é até legal. Ela estagnou nessa posição por uma determinada situação do passado. Em um dia de uma rotina cansativa na delegacia, ela vê Marta Campos saindo da sala de seu chefe aos prantos. Ela se sente mal pela moça que aparentemente está doente, mas não tem lá muito tempo pra ajudá-la já que Marta acaba se suicidando. Verônica decide investigar o que aconteceu pra fazer alguém chegar ao ponto de encerrar sua vida.

Além do caso de Marta, também veremos a situação de Janete que é um tanto pior. Agora Verônica tem dois casos, um de um possível necrófilo golpista de mulheres em situação emocional instável e um potencial serial killer que também é um marido abusivo. 

Você faz cem coisas certas, mas os sacanas só se lembram de uma coisa errada.

p. 17

Os autores trabalham assuntos tensos envolvendo mulheres. Tanto no início de um relacionamento, em que procuram segurança e estabilidade quanto num casamento abusivo. Sim, vemos a situação onde a mulher cria desculpas pra não denunciar o marido que a machuca de forma física, verbal e psicológica. Um ponto que me tocou muito na narrativa, foi pesado, muito triste. E o pior é que isso acontece na nossa realidade. 

As mentiras… bem, as mentiras só serviam para manter tudo no seu devido lugar.

p. 33

Além da Verônica “detetive” vemos ela como esposa e mãe. Coisa que não funciona tão bem quanto deveria. Seu casamento caiu na rotina e o marido, Paulo reclama da falta de disponibilidade da mulher para os filhos. Verônica foge disso com alguns casos extraconjugais que são citados durante a leitura, e isso me incomodou um pouco. Inclusive, uma mesma frase foi usada em duas situações, not good.

O passado deveria ficar no passado, mas a necessidade dita as regras.

p. 89

Bom, temos esses três núcleos na história que são bem apresentados pela autora em uma narrativa divididas entre primeira e terceira pessoa – nesse caso, é o ponto de vista de Janete. O desenrolar da história prende o leitor que quer saber como cada uma das situações acaba. E até aí, estava tudo com os pés no chão, bem real sabe? Mas quando chegamos na finalização, a história chegou num ponto meio fantasioso demais pra mim. Não querendo dizer que isso não possa acontecer, só acho que poderia ter sido resolvido de outra forma. Os autores criaram uma reviravolta meio forçada no meu ponto de vista. Achei muito Dexter. Me frustrei um pouco no fim.

O ser humano é podre e egoísta, prefere o problema que já conhece a enfrentar o desconhecido com honra.

p. 191

Tirando esses dois problemas que tive durante a leitura, recomendo sim o livro porque temos problemáticas que precisam ser mais comentadas. Então, não vou ser injusta aqui, é um livro instigante com uma narrativa que te prende do início ao fim. Um romance policial nas ruas de São Paulo que chegam perto de autores gringos facilmente.

“[…] Depois de um tempo, a gente vê que não tem jeito e desiste de querer salvar o mundo.” -p. 160

Compre a nova edição do livro aqui

Ana Gabriela

28 comentários em “Resenha | Bom Dia, Verônica

  1. Olá
    Realmente fiquei curiosa sobre esse livro, e não sei como ainda não tinha lido nada a respeito. Adorei o pseudonimo da autora e sua história é, no mínimo, intrigante. Fiquei curiosa sobre o desenvolvimento desse núcleos e das demais problemáticas. Gostaria de poder fazer essa leitura também!
    Beijos, Fer
    http://www.segredosemlivros.com

  2. Oie! Tudo bem? Eu já tinha visto esse livro em outro blog, mas não tinha parado para ler uma resenha ainda, e pela sua vejo pontos positivos e negativos. O que mais me chamou a atenção foi as fotos que você colocou junto com a resenha, ela me lembra algo mas não consigo lembrar o que, e gostei de saber que os livros da autora são um pouco baseados na vida dela!
    BJss

  3. Caramba, eu não fazia ideia que era um livro nacional! A Darkside está apostando com vontade na nossa literatura <3 acho essa capa linda e não sabia do que se tratava a história, adorei os quotes que você colocou, me encheram de curiosidade.

  4. Olá
    Eu ja conhecia essa obra e inclusive vi diversas resenha sobre a obra e inclusive em vídeo kkk. Agora antes de tudo,sua tradição para a autora foi de mais kkjj. O enredo parece ser bem rico e peculiar por se juntar fatos reais e fictício. É uma pena ir você tenha se frustrado um pouco e isso tenha dado um peso maior na hora de dar a nota. Enfim, acho que iria adorar muito a obra em questão. Até mais ver
    Bjk

  5. Oi Ana, tudo bem?
    Eu estou bem curiosa para conferir esse livro e tô amando ver a editora DarkSide publicando cada vez mais nacionais, isso é muito legal. Adoro histórias que envolvem investigações e detetives, ainda mais se tratando de uma mulher, e adorei o fato da autora ter inserido problemas reais nessa história, especialmente se tratando de relacionamentos abusivos, que ninguém leva a sério e nem entende o porquê da mulher não denunciar. Apesar de você ter achado o final fantasioso demais, eu quero muito conferir a história e acompanhar a resolução dos casos. Espero gostar!

    Beijos! ♥

  6. Nunca li romance policial, acredita? Fiquei bem curiosa para ler esse livro, e é bem bacana ela falar de assuntos mais pesados (como o casamento abusivo) no livro, são coisas reais e que merecem mais destaque na sociedade.
    Amei sua resenha, a forma que escreve é bem leve e bacana, e suas fotos são lindas <3

    Born in 1996

  7. Olá!!
    Que livro lindo! Pelo que notei pelas fotos possui uma diagramação ótima. A história não é o meu tipo de leitura, mas pelo que você contou em sua resenha parece ser muito bom. Achei mega interessante a autora ser pouco conhecida, da mais privacidade para ela.

    Abraços

  8. Olá!
    Esse livro tem gerado muitas opiniões e acho isso interessante.
    Mesmo a leitura tendo tido pontos negativos para você, é uma obra que gostaria de ter o prazer de ler. Gostei da ideia dos três núcleos de história e de a autora trabalhar assuntos tensos para as mulheres.
    Espero, de coração, curtir essa leitura.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

  9. Estou muito arrependida de não ter pago o boleto desse livro em uma promoção. rsrsrs
    Eu não assistir nem li nenhum livro do Dexter, então acho que não terei nenhum problema em relação a semelhança na reviravolta.
    Eu tinha uma ideia totalmente errada sobre esse livro e agora com isso mais claro, minha vontade de ler só aumenta.

    Bjs,
    Garotas de Papel

  10. Olá!
    Fiquei super curiosa desde que ninguém sabe nada sobre a autora até seus personagens que parecem ser inspirados em algumas realidades vividas por mulheres todos os dias. Com certeza vou ler!
    Bjs

  11. Olha, eu já não me sentia atraída por esse livro… Mas o que você falou sobre o final me fez desistir completamente dele. Não sei se você conhece o livro 72 horas para morrer, mas foi exatamente a impressão que tive dele, que o final ficou fantasioso demais e que teve uma reviravolta não meio, mas totalmente forçada. Não quero de jeito nenhum me arriscar a ter uma experiência parecida porque fiquei irada… Rs…

  12. Oi Ana, tudo bom? Ameei sua resenha, e as fotos ficaram ótimas. A Darkside tem trazido muitos livros nacionais interessantes para seu catálogo e fico muito curiosa com alguns. Bom Dia, Verônica tem uma premissa que me chama atenção, mas provavelmente iria me irritar com os mesmos pontos que você. De qualquer forma, está na listinha de desejados.

    Beijos!

  13. Oi! Eu confesso que esse livro não chega nem perto de me fazer querer lê-lo mais do que tudo. Mas acho que a temática tratada no livro é de extrema importância e a autora conseguiu conduzir de uma maneira exemplar o decorrer uma vez que prendo o leitor. Acho que os pontos negativos que você citou também irá me incomodar e muito, porque acredito serem desnecessários… e se a autora foi bem real o tempo todo para que fazer um desfecho fantasioso onde se torna difícil de acreditar que aconteceria, mesmo que possa acontecer? Não sei se eu leria a obra, por não fazer muito o meu estilo, mas a edição está incrível e acredito que é uma boa escolha para os que curtem! Parabéns pela resenha.
    Um beijo
    http://www.brookebells.com

  14. Olá,

    Não sabia que a autora era brasileira e tão misteriosa assim. Achei intrigante o fato da história, ter acontecimentos que realmente são verídicos e isso com certeza engrandece o enredo. A premissa é muito interessante, gosto desse clima policial e fiquei curiosa para desvendar essa teia de mistérios.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

  15. Oi.
    Já tenho o livro e estou curiosíssima para ler.
    Na minha profissão eu também lido com mulheres que sofrem abusos e não querem denunciar pelos mais diversos motivos. Mas o principal é que estes abusos anulam a auto confiança da mulher de tal forma que ela passa a achar que não consegue fazer nada sem o marido, que é inútil, que ela tem sorte pelo marido aceitar alguém como ela.
    Acho um tema bem pesado, mas que precisa ser discutido.
    Adorei o fato de ser um romance policial ambientado nas ruas de São Paulo. Amo autores nacionais que escrevem gêneros que não são tão comuns no Brasil.
    Bom, sua resenha só me deixou mais ansiosa para conferir a obra.

  16. Oie.
    Não conhecia o livro, mas ele aborda um assunto bem dentro da realidade, despertou meu interesse, apesar do livro fugir da minha zona de conforto.
    Só achei uma pena o desfecho deixar a desejar, um assunto tão denso e real, merecia algo mais convincente.
    Mas a sugestão é bem-vinda e está anotada.

    Até mais!!
    Leituras da Paty

  17. Olá, tudo bem?
    Tinha visto este lançamento no site da editora, e simplesmente amei saber mais nessa sua resenha. Um romance policial bem instigante e com personagens assim, é de uma leitura rápida de se fazer. Quero logo ter essa chance, e simplesmente agradeço por essa resenha tão bem escrita.

  18. É sempre interessante ver essas entrevistas com autores, A capa desse livro está maravilhosamente linda. Claro, só podia ser Darkside.

    Gosto de livros policiais, mas não é meu gênero favorito. Quando vi a capa, achei que fosse de suspense ou algo assim! Não algo meio Dexter, como você fechou suas conclusões com o final do livro. Parece bem envolvente!

    Quero ler!

    Abraços!
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com

  19. Oiee ^^
    Eu sempre fico me sentindo um pouco estranha quando o livro tem uma reviravolta forçada…. não sei, parece que sou chata demais e fico pensando "Dãã, isso não é possível. Deu uma viajada legal, hein colega?" e depois me sinto mal…hehe'
    Ainda não conhecia o livro, e nem a autora (assustada com o MataMais…hehe'), mas eu não gosto do gênero, então fiquei um pouco receosa em ler, apesar de estar curiosa *-*
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

  20. Apesar de achar as temáticas bem interessantes, o livro não me chama tanta atenção. Os casos em sim parecem bem envolventes, mas me pareceu um mais do mesmo. Levando em consideração a sua opinião sobre o final, só me faz ter certeza que a leitura não me agradaria. Que sabe em um outro momento.
    Bjim!
    Tammy

  21. Ainda não conhecia o livro, mas de cara já me agradou. A dinâmica combros os três casos me chamou a atenção e os pontos ressaltados também. Realmente são assuntos que valem uma boa reflexão.
    Fiquei um pouco chateada pelos erros citados, mas ainda assim estou cogitando ler.
    A diagramação está impecável, o que já era de se esperar vindo da Darkside.
    Gostei bastante de conferir suas impressões.
    Bjs, Mila

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo