fala sobre livros

Resenha | E Se Tocássemos o Céu?

E Se Tocássemos o Céu é um conto do Leo Oliveira e vai contar a história de Joaquim, um garoto negro e gay que tem dificuldades de aceitar quem ele é – e quem não tem, não é mesmo? Joaquim é filho de Gustavo e Caio, tem uma família amorosa que o apoia em tudo.

Eu queria ter coragem o suficiente para seguir adiante, para embarcar em um barco a remo e sair navegando por um novo oceano. Acho que o meu está poluído demais, não há espaço para uma nova embarcação.

Em uma visita ao mercado, ele conhece Sal, um garoto que tem um ar de príncipe inglês (quem falou isso foi o Leo, não tem nada a ver com eu gostar do Príncipe Harry 😂). E pelo seu último relacionamento ter sido ruim, tipo muito ruim, Joaquim tem muito medo de dar outra chance pro amor. Então, seus muros estão erguidos. 

Um dia você vai entender que toda paixão começa de algum lugar, que o amor pode ser tanto instantaneamente destrutivo como instantaneamente verdadeiro.

Mas uma notícia maravilhosa que deixa qualquer fanboy ou fangirl surtando, o artista número um da vida de Joaquim, Chris Hemsworth vem pra Comic Con e isso, de um jeito muito fofo, faz com que ele compreenda coisas sobre si e sobre as expectativas que ele tem sobre ele mesmo. A melhor cena de todas é a da foto na Comic Con, e só minha opinião importa.

Essa é a magia da música, ela engana seus ouvidos com uma promessa de te fazer esquecer todos os seus problemas, mas a verdade é que ela te faz pensar ainda mais neles. A verdade dói.

Eu estou escrevendo isso com meus olhos marejados porque foi uma história de deixar o coração quentinho. Eu não sei pelo que eu chorei mais, os e-mails que Joaquim escreve como se fosse pro Chris que eu achei tudo? Ou a jornada que Joaquim inicia nessa história de entender que não tem nada de errado de ser exatamente como você é? (Contando claro que isso não afete negativamente a vida de outra pessoa né rsrs).

Foi então que encontrei nesses e-mails uma válvula de escape para os meus sentimentos. É como minha terapeuta sempre diz: você precisa extravasar estas emoções, Joa, e escrever é o que você sabe fazer de melhor.

Amo histórias que envolvem paixões por pessoas públicas porque eu me sinto compreendida, mas essa, pelo fato de usar justamente essa paixão como meio de ajudar o personagem me toca de verdade porque é exatamente isso que eu sinto rs. É muito doido se sentir apoiado por alguém que você nem conhece.

A verdade é que a felicidade, por mais bonita que seja, não é tudo. Ela faz parte do equilíbrio, da balança que move nossos sonhos. Mas quanto mais penso sobre ela, quanto mais busco, menos a encontro.

As referências a cultura pop, as músicas de Taylor Swift, a paixão por Chris Hemsworth e a leveza que a história tem são um prato cheio. É uma leitura rápida de se fazer, mas que me deixou em lágrimas e realizada.

Finalizo com esse Gif lindo da cena que me deixou menos indignada com a sequência do Thor nesse pedaço do filme. Uma dica: você não trata ataque do pânico com um tapa na cara. Obrigada pela atenção!

Um comentário

  • Pensamento Literário

    Oii! Tudo bem??

    Eu já vi a resenha desse livro em outros blogs e achei a temática e estrutura muito atraente. Não é algo que leria no momento, isso pq estou navegando em outros estilos literários, mas é uma dica muito válida. Assim, obrigada pela dica.

    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *