É natal, amor


Era véspera de natal e ambas as famílias estavam reunidas em uma grande celebração. Era costumeiro de fazermos isso, mas eu jamais esperei o que aconteceria naquele dia.

Já estava com Thomas há quase três anos, nós dividimos momentos cheios de amor e sorrisos, mas também compartilhamos os momentos em que eu fui destruída. Em todos eles, ele estava lá, me apoiando e me ajudando a juntar os pedaços. É maravilhoso encontrar alguém com quem você pode ser quem você é e te aceita exatamente desse jeito.

— Eu quero fazer um brinde antes de dar meia noite, não quero roubar a hora de Jesus. Thomas falou e todo mundo na mesa riu. — Como todos aqui sabem,  Rach e eu estamos juntos tem um certo tempo e eu queria aproveitar que estamos todos aqui para uma coisa.

Naquele momento meu coração congelou. Será que era o que eu estava imaginando mesmo? Thomas se vira totalmente pra onde estou e me faz levantar.

— Nós nos conhecemos em um momento que meu coração estava triste, tinha sido partido por pessoas que não eram pra mim e o seu estava emprestado pra alguém que ainda bem, não era a pessoa certa.  Novamente, ouço as risadinhas em meio a suspiros. —Naquele mesmo dia eu me vi impressionado com quem você era. Engraçado é que parece ser muito mais tempo do que isso. Nós já fizemos e falamos sobre tantas coisas que três anos podiam ser 30. Nós sempre estamos juntos de algum jeito, temos os mesmos gostos, mas ao mesmo tempo somos tão diferentes que nos transbordamos.

Nessa hora, ele se ajoelha e eu tenho certeza do que vem agora e é nessa mesma hora que eu começo a chorar.

— Acho que está na hora de oficializar o para sempre e sempre, não é mesmo? Então, Rachel, quer se casar comigo?

Dizem que antes de você morrer, toda a sua vida passa diante dos seus olhos, mas eu também acredito que antes de todas as grandes decisões da vida, o mesmo filme passa na sua cabeça. E foi isso que aconteceu.

— É claro que sim!

Enquanto ele colocava o anel em meu dedo, eu ouvia as vozes gritando e as palmas preenchendo o ar. Estava tudo distante porque naquele momento só existia eu e ele.

O meu coração estava feliz e ele me pediu em casamento naquele natal.



Thomas e eu tínhamos acabado de fazer um ano de casados, claro que não pudemos nos casar em pleno 24 de dezembro. Mas foi perto, dia 20. Aquele seria o primeiro natal na nossa própria casa, onde nós fazíamos as regras. Foi por isso que pedimos que os convidados viessem com um suéter (feio ou não, como Thomas deixou claro) natalino. Não eram todos da nossa família, tínhamos chamado alguns amigos que não iam sair da cidade.

— Você viu que temos uma dupla combinando na festa? Thomas falou baixinho no meu ouvido em um abraço que me direcionava aos dois convidados Grace e David  que estavam com o mesmo sueter.

— Eu acho que não foi de propósito. Digo entre uma risada. — Na verdade eu espero que não tenha sido de propósito porque são peças muito muito feias.

— Rachel! Ele me chama atenção em um tom de ofensa fingido. — A gente vai fazer de conta que não viu e deixar eles se descobrirem né?

— Óbvio!
— Sabia que tinha casado com a mulher certa.

As horas foram passando, nós rimos, comemos, alguns beberam, inclusive David que ficou chocado demais com o suéter combinado com uma desconhecida. Ele e mais alguns poucos convidados acabaram jogados na nossa sala de estar e tentamos fazer com que ficassem o mais confortável possível. Ninguém ali conseguiria dirigir.

Já passavam de duas horas da manhã e eu puxei Thomas para o nosso jardim. Daqui era fácil ver a maioria das estrelas.

— Eu sei que nosso aniversário de casamento foi alguns dias atrás, mas quero te entregar uma coisa, você sabe que eu gosto de escrever cartas.

— Claro que sim, tenho uma caixa lá em cima que serve de indício. E eu amo todas elas. Ele me dá um beijo na testa.

Entre um sorriso continuo falando.
— Dessa vez eu não escrevi, vou fazer ao vivo, mas preciso que você vire de costas.

Thomas me olha com uma expressão confusa.
— Como assim?

— Só faz, por favor?! Faço minha melhor cara de gato de botas do Shrek.

Thomas se vira e eu pego o violão escondido. Ele sempre gostou de música, sabe um pouco de tudo e elogiava quando eu cantarolava ao chuveiro, mas nunca fiz nada assim pra ele. Começo as primeiras notas insegura, mas agora não dá mais pra desistir.

We could leave the Christmas lights up ‘til January
This is our place, we make the rules.

Percebo Thomas querendo se virar, mas se contendo. Continuo a música até o segundo refrão que é quando ele desiste de se manter de costas. O que me choca ao abrir os olhos não é ele ter virado, mas a lágrima que desce pelo rosto e o jeito admirado que ele me olha. Aquilo de um jeito misterioso me impulsiona a continuar a música olhando pra ele.

Ladies and gentlemen, will you please stand?
With every guitar string scar on my hand
I take this magnetic force of a man to be my lover
My heart’s been borrowed and yours has been blue
All’s well that ends well to end up with you

Nas últimas frases nós rimos porque é a parte que mais descreve nosso relacionamento.

Swear to be overdramatic and true to my lover.
And you’ll save all your dirtiest jokes for me.
And at every table, I’ll save you a seat, lover.

Nessa hora eu me perco um pouco, então ele vem pro meu lado e olha o papel com a cifra da canção, ele me olha como quem pede licença e começa a tocar as notas no meu lugar. E a melhor parte, ele canta comigo.

Can I go where you go?
Can we always be this close forever and ever?
And ah, take me out, and take me home.
You’re my, my, my, my
Oh, you’re my, my, my, my
Darling, you’re my, my, my, my lover.

Nós finalizamos a música e eu fico de coração cheio, nem sabia que era possível ele ser mais preenchido.

— É por isso que você não parava de ouvir essa música? Thomas me pergunta rindo.
— Também. Você tem que admitir que Taylor Swift é uma artista.
— Ela é sim, mas tem uma pessoa que supera.
O encaro questionadora.
— Você, my lover.

Eu dou uma gargalhada. E é desse jeito que mais um natal termina.

Ana Gabriela

2 comentários em “É natal, amor

  1. Sobre eu ter amado esse conto com todo o meu coração? Amei horrores!!!! Encheu meu coração de alegria, e muito amor. Vou mostrar pra minha pessoa e pra todos que amam histórias de Natal. Parabéns ❣️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo