Blinde seu coração – a renovação em ‘De Una Vez’


Quase todo mundo já viveu um amor ou uma situação que te deixou completamente estraçalhada. Sua autoestima vai ao chão, suas asas ficam incapacitadas de voar e seu coração fica partido.

De primeiro momento, esquecer tudo o que aconteceu parece a melhor solução. Deixar para lá, tentar não lembrar da dor. Mas não é tão fácil assim… as cicatrizes e feridas abertas ainda estão lá. Apenas esquecer não ajuda no processo de cura.

É quase um luto, de cunho emocional, primeiro você entra em negação, tenta fingir que não existe problema nenhum, nada aconteceu.

Depois, temos a raiva, a revolta toma conta e você quer fazer algo sobre aquilo, como deixei chegar nisso? A raiva é direcionada ao problema, a pessoa envolvida e até a si.

A terceira fase é a barganha, uma negociação consigo mesmo para tentar aliviar a situação, para reverter o que levou ao final que trouxe até o ponto do luto emocional.

A fase da depressão te traz de volta para a realidade: algo aconteceu, aquilo acabou e te levou junto. Vem a consciência de que, provavelmente, agora você está só, de que a tristeza estava dentro de você o tempo todo. E que realmente, suas asas estão quebradas e seu coração partido. Nesse ponto, é fácil acreditar que nunca mais sairá desse momento, que a tristeza vai ser sua companheira pelo resto dos seus dias. Não dá para reviver.

E aí, quando tudo parece horrível, sem previsão de melhora, a restauração começa e a nova fase diz olá: a aceitação.

Entre uma fase e outra não existe um período marcado. Pode ser que a fase da raiva dure anos, a da barganha pode durar tanto tempo quanto e inclusive, te fazer querer reatar os laços dessa situação que te quebrou para ver se assim, ela se resolve. E eu já aviso que na maioria das vezes, não, não resolve.

“Eu fui embora para você não esquecer que a uma morte como você, se revive.”

Yo me fui para que no se te olvide que a una muertе como tú se revive

Uma vez, a própria Selena disse que:

“Você não pode simplesmente esquecer. Você precisa descobrir o motivo por ainda estar preso e o porquê de querer esquecer. Te machucou? Se sim, não é saudável voltar e pensar nisso, mas esquecer pode ser ruim, às vezes você precisa ser lembrado.”

E é isso. Às vezes, para superar, é preciso que você se lembre de tudo que te doeu, te feriu e te quebrou. Dessa maneira, você consegue assimilar as coisas que você não vai mais aceitar para evitar que essa dor volte a acontecer.

Essa é a maior lição de ‘De Una Vez’, a blindagem do seu coração acontece nos piores momentos da sua vida. São nos pontos mais baixos que nós entendemos que existem coisas, pessoas e situações que não podemos aceitar, nem deixar que entrem na nossa mente e coração. Esses momentos de restauração são doloridos. Para um machucado melhorar, são necessários pontos, medicamentos, repouso.

Da mesma maneira com feridas emocionais – que podem e na maior parte das vezes são mais difíceis de curar. Aqui você pode se perceber só, a carência pode te fazer querer voltar na fase de barganha. Em restaurações de obras de arte, o processo é lento, detalhista, de muita limpeza, paciência. Mas no final, a obra sai intacta, como nova. E só o artista sabe quanto tempo levou para deixá-la daquela maneira e só o artista sabe as condições e quais instruções dar para que a obra se mantenha intacta.

Blinde seu coração. Mantenha ele longe de quem só quer danificar todo o trabalho feito até aqui. Existem pessoas e situações que só devem enxergar sua obra de arte de longe. A Monalisa é vista de metros de distância.

Acima de todas as coisas, guarde seu coração, pois ele dirige o rumo de sua vida.

Provérbios 4:23

Não deixe que as renovações em você sejam em vão.


O tempo que eu passei só seu lado cortou minhas asas, mas agora esse peito é às prova de balas.

Ana Gabriela

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo