A diferença entre a Princesa Diana e Meghan Markle – uma rede de apoio

A Princesa Diana, na sua histórica entrevista pós divórcio falou o seguinte:
“Não tenho jeito melhor de destruir uma pessoa do que a isolar.”


Essa é uma frase que sempre mexe comigo porque ela é real.

Na época que Diana decidiu desafiar “a firma“, ela ficou sozinha. Sua família, seu marido, amigos… Todos a deixaram. Ela tinha apoio público, mas sem a internet, como temos hoje, era muito difícil guardar provas, combater falsas histórias, ela não tinha um “squad”. Diana estava só. Era ela contra a monarquia, os homens de cinza – como ela chamava os conselheiros do palácio e até hoje eles são conhecidos assim – contra a imprensa britânica que a chamava de raivosa, doente, maluca, surtada


As cartadas de Diana foram ajudar numa biografia sobre ela, mas essa informação só foi revelada pelo autor depois da sua morte, ela foi uma anônima enquanto tentava contar sua história para o mundo, que foi levado a acreditar em outra Diana, alguém que se encaixa na narrativa do palácio, que a deixava como a princesa Má e o resto da família real como os bonzinhos.

E claro, a entrevista.


A morte da Diana marcou a história da família real, mas o tempo e um casamento de uma “plebeia” com um futuro rei e muito marketing ajudou a limpar um pouco essa imagem.


Até que chegou uma mulher birracial, norte-americana e com vontade de trabalhar no meio de gente confortável com aquele sistema.


E agora nós estamos vendo a mesma narrativa sendo utilizada contra Meghan Markle, com o acréscimo de xenofobia e racismo.


Mas nós também temos alguns elementos positivos pelo lado de Meghan que dificultam um pouco a estratégia da Família Real que a deixa parecendo o que ela realmente é: mau-caráter, mesquinha e tudo o que há de mal!


Meghan tem um marido que casou com ela por amor, e não quer que a história da mãe dele se repita; Meghan sempre teve independência além dos portões do palácio, ela não foi forçada pela mãe a se casar com um príncipe pelo nome da família; Meghan tem mais inteligência emocional do que a Diana teve, quando se casou com 20 anos e foi completamente abandonada; e o elemento mais importante: Meghan não está sozinha.


Os amigos de Meghan, sua mãe, colegas de trabalho e claro, a fã base (se você me segue no Instagram, sabe) não deixam a família real reescrever a história de Meghan. E nem ela mesma deixa mais. Com a saída dos deveres reais, Meghan e Harry podem se defender, usar sua plataforma e suas vozes pelo bem. E que alívio é ver isso.


Quando a Diana disse que isolar alguém é a melhor maneira de se destruir essa pessoa, ela não mentiu. E ela falava de uma experiência pessoal. Quiseram reescrever a história dela e eles tinham tudo o que precisavam para isso.


Na bíblia diz que é melhor que andem dois juntos porque se um cai o outro está lá para levantá-lo. Se você está só, abandonado pelos amigos, pela família, pelo marido, por seja lá quem for, você cai e não consegue se levantar. É muito difícil estar só, se sentir só. Você acredita que não tem necessidade lutar mais. Para quê? Não tem ninguém para alcançar a linha de chegada comigo.

É melhor ter companhia do que estar sozinho porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre de quem cai e não tem quem o ajude a levantar-se! E se dois dormirem juntos, vão manter-se aquecidos. Como, porém, manter-se aquecido sozinho? Um homem sozinho pode ser vencido, mas dois conseguem defender-se. Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade.

Eclesiastes 4:9-12


É tão importante ter alguém com você. Uma pessoa que realmente está lá nos seus piores dias e nos melhores dias. Te dá esperança, força. Se Deus quer isso para gente, imagina se essa frase da Diana não é verdade? Meghan tem estrutura externa onde se apoiar se a interna dela falha – porque a Meghan é humana, lembrando a todos, já que a desumanizam tanto. E é aí que entram os amigos, um bom parceiro, sua família.

Escolha bem as pessoas que estão com você. Analise se elas estão lá só nos dias onde você é uma princesa, ou se elas estão lá quando você é apontada como um problema. Se elas te ajudam, se existe um laço real entre vocês. Não deixe as pessoas sozinhas. Não deixe que elas sejam isoladas. Não deixe que elas se isolem.


Sim, porque pessoas que estão quebradas internamente costumam querer desistir, não sentem confiança em ninguém porque essa habilidade foi destruída. E elas fazem isso se isolando. E se elas veem todos como maus, que tal você ser a diferença na vida dela?


Não deixe uma pessoa se isolar perto de você. Não deixe ninguém desistir.


A Princesa Diana foi um grande exemplo de superação porque ela virou sua vida com pouquíssimo apoio. Era ela pelos filhos dela, mas apesar de ser esse exemplo de superação, não deixa de ser uma história triste. Meghan é um exemplo de como até a mulher mais forte e independente precisará de uma rede de apoio porque elas também são alvo. E essas são duas de várias mulheres – famosas ou não – que me inspiram.


Se você que lê esse texto hoje é a pessoa que se sente só, eu quero te dizer que você não está sozinha(o). Pode parecer, mas você tem a si, pode parecer pouco, mas isso é tanto e você nem imagina. Também não sei sua fé, mas eu acredito que existe um Deus com você. Nos meus piores dias Ele sempre está lá, confie que Ele está aí.

Tenha uma rede de apoio, pois nos dias dificeis, essas pessoas te levantam e nos dias bons, elas celebram com você. E também seja apoio para os outros.

Ana Gabriela

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo